Firefox Android chega renovado na versão 79

Firefox Android chega renovado na versão 79

O Firefox vem sofrendo uma perda constante de market share em todas as frentes que atua, principalmente no mundo mobile, no Android o Firefox tem uma participação em torno de 0,50% de acordo com os dados da statcounter.

Mas faz algum tempo que a Mozilla planeja reformular seu navegador mobile para chamar a atenção dos usuários e competir de igual para com o Google Chrome e até o Samsung Internet Browser que nos últimos anos conseguiu a terceira colocação de navegador mais utilizado no mundo mobile, atrás apenas do líder Google Chrome e do vice-líder Safari.

Com a chegada do Firefox 79 para Android, a Mozilla traz diversos recursos que já vinham sendo testados em uma versão chamada Preview e até alguns que foram bem recebidos no Firefox Focus, um navegador mais simples e com grande foco em privacidade para o Android.

Novos recursos como proteção aprimorada contra rastreamento, coleções, opções de personalização e reformulação da interface são destaques na versão 79, além de uma nova arquitetura para o GeckoView, o motor do Firefox, e melhorias nos componentes para oferecerem um melhor desempenho.

A nova interface do Firefox Android

O Firefox para Android está mais agradável visualmente e notoriamente diferente, agora os usuários podem escolher se a barra de endereços fica na parte superior ou inferior da tela, levando junto consigo o menu de abas que é exibido em forma de lista em um BottomSheet. O acesso as extensões, histórico, favoritos, abas sincronizadas e configurações ocorre em um PopupMenuButton, disposto ao lado do gerenciador de abas.

Vale destacar que o Firefox segue a tendência e conta com um modo escuro para escolha dos usuários, inclusive possui uma extensão já liberada na versão mobile para forçar, também, os sites para o modo escuro.

Extensões no navegador mobile

Ao contrário do que vimos no passado, o novo firefox não dá acesso a store de extensões da Mozilla, ao invés disso traz uma listagem com as extensões “Recomendadas” para a versão mobile, por hora temos um número muito pequeno, 9 extensões disponíveis até o momento dessa matéria, que envolve alguns nomes como uBlock Origin, HTTPS Everywhere, NoScript e Dark Reader. A Mozilla promete que mais extensões serão liberadas com o passar do tempo.

Coleções – Um lugar para chamar de seu

Essa é uma das melhores partes do novo Firefox, as coleções estão presentes. Para quem não conhece a função, ela serve como um modo offline para seu navegador. Enquanto no Google Chrome o modo offline ocorre de forma pré-definida, ficando a cargo da I.A da Google salvar loucamente noticias que considera relevante para você acessar da página inicial do Chrome, sem precisar de internet. O Firefox entrega esse controle ao usuário, bastando clicar em adicionar a coleção para que uma versão offline fique disponível imediatamente.

Ainda é possível organizar as coleções entre diferentes temas, dando espaço para você criar um acervo de diferentes matérias que quer acessar de qualquer lugar, sem depender de conexão.

Desempenho do Mozilla Firefox Android

Para verificar o desempenho da nova versão,utilizamos o speedometer da browserbench, esse benchmark coloca o browser para executar em diferentes linguagens web o mesmo site de lista de tarefas, contabilizando ao final o tempo de execução total. Esse teste é interessante pois acaba abordando diferentes componentes do browser e como seu motor comporta-se com diferentes bibliotecas e linguagens que o usuário pode deparar-se no dia a dia.

O Firefox alcançou os 23.8 minutos como tempo total de execução, para efeito de comparação o Google Chrome 84 completou o mesmo teste em 14.4 minutos, ou seja, quase a metade de tempo do navegador da raposa. Como desempenho não está relacionado apenas a tempo de carregamento (Apesar de ser algo muito importante para o usuário final), resolvemos colocar o navegador sobre mais um teste.

Dessa vez usamos o Bmark, esse benchmark coloca o navegador sobre diferentes testes de stress de renderização de gráficos em 2D e 3D usando WebGL/Canvas 3D. Basicamente teremos uma visão do desempenho do navegador perante jogos online, animações e outros recursos web que possam necessitar de uma renderização gráfica.

Aqui o Firefox conseguiu seus 1123 pontos, contra 839 pontos do Google Chrome 84. Ou seja, aparentemente o Firefox é mais lento para carregar o conteúdo, mas mais eficaz na renderização de conteúdo gráfico.

Claro que o foco dessa matéria não é comparativos de benchmark, caso contrário conseguiríamos nos aprofundar em outros testes e questões, mas fica aqui a nível de curiosidade. Também é importante destacar que esses testes podem variar dependendo do dispositivo, em nosso caso foi usado um Samsung Galaxy Note 10+ com Android 10.

Se você quer conhecer o novo Firefox e testar todos os seus recursos, a nova versão já está disponível na Google Play Store e App Store.

Enable Notifications    Ok No thanks