Colunas

Openmailbox – O que aconteceu com você?

Algum tempo atrás, antes da grande mudança de casa, o Linux Centro abordou um interessante projeto, um serviço de e-mail que utilizava software de código aberto, opta por não usar publicidade e qualquer tipo de cookie, mantendo a sua total privacidade com sua caixa de e-mails.

O openmailbox ganhou um relativo destaque, prometia uma solução de e-mail gratuita, de código aberto e com foco em sua privacidade, usando o RoundCube como interface. Na época o espaço oferecido era de apenas 256MB, mas considerando que o serviço era mantido por apenas um jovem e vivia exclusivamente de doações, era compreensível seu tamanho diminuto perante os concorrentes.

O tempo passou e o openmailbox fora recebendo algumas modificações, ganhou mais espaço de armazenamento, passando para 512MB e posteriormente, 1GB aos quais eram compartilhados com um esquema de armazenamento em nuvem, o qual era utilizado o OwnCloud como software.

Mas como abordamos anteriormente, o serviço vivia exclusivamente de doações e ano passado, seu fundador, havia anunciado que se não conseguisse alcançar a meta de 14 mil euros, o openmailbox seria encerrado.

O valor em doações não supriam mais as necessidades de infra e mantenimento, mas ao invés de ser encerrado, o serviço encontrou uma possibilidade de continuar existindo, pois surgiu uma empresa para adquiri-lo.

Os planos do openmailbox

Mas infelizmente, o que poderia ser uma interessante empreitada com o uso de softwares gratuitos, acabou tomando outro rumo. O openmailbox recentemente passou por uma modificação, toda a sua interface fora reformulada, o uso de software de código aberto foi deixado de lado e nem mesmo é mais citado na página do serviço, em seu lugar uma interface proprietária que promete foco na privacidade.

O serviço gratuito continuou existindo, mas passou a ter diversas limitações, tais como o bloqueio do protocolo IMAP e POP3, enquanto uma opção paga passou a ser oferecida, com espaço de armazenamento de 500GB compartilhados entre e-mail e armazenamento em cloud, além da possibilidade de uso de seu próprio domínio, procotolo IMAP e POP3 liberados.

O openmailbox não tornou-se um serviço de má qualidade, pelo contrário, houve uma boa evolução e a nova interface é muito agradável, o problema é que o serviço fez diversas mudanças sem qualquer comunicação com seus usuários, elas simplesmente aconteceram.

Nova interface proprietária do Openmailbox

A sua adoção em seu surgimento fora causada justamente pela oferta de softwares livres no seu dia a dia, hoje o openmailbox perdeu seu diferencial e passou a ser apenas mais um competidor entre tantas soluções do gênero, como Zoho Mail, Uol Mail e assim por diante.

Os planos pagos poderiam ter surgido, mas o serviço poderia ter contribuído mais com os softwares que criaram sua base de reconhecimento e ter mantido sua utilização, colaborando com o Round Cube em sua evolução, ou ao menos disponibilizar o código de seu novo software, com isso até mesmo o uso do nome perdeu sentido, já que openmailbox referia-se ao fato de usar um software opensource.

E para deixar as coisas mais críticas, os antigos usuários do serviço não receberam qualquer regalia, apenas uma amostra grátis de um mês no plano gratuito, sendo que em setembro, caso não tenha adquirido a versão paga, os recursos que antes utilizavas do serviço, simplesmente deixaram de existir, como grande destaque para IMAP e POP3, o que significa nada de openmailbox em seu smartphone, já que ele não possui aplicativo próprio.

Agora, sobram aos usuários duas alternativas, abandonarem o openmailbox e usarem outro serviço ou pagar pela sua utilização, já que a versão gratuita é praticamente inútil ao oferecer apenas uma interface web.

View post on imgur.com

Back to top button